Um dos passos mais importantes antes de uma reforma é determinar como armazenar materiais de forma adequada. Alguns são quebradiços ou não podem ter contato com a água e, se você não levar em conta tais características, o prejuízo devido ao desperdício e perda de produto é quase certo.

Para que isso não aconteça, preparamos este post, trazendo algumas dicas de como armazenar materiais de obra de forma correta. Continue com a gente!

Sem dinheiro para a reforma? Faz um consórcio!

Guarde peças metálicas em locais que evitem corrosão e distorção

Peças metálicas, como as de aço, sejam elas de reforço ou estruturais, podem sofrer bastante com distorções e, principalmente, corrosão. Por esse motivo, elas devem ficar longe do solo — ao menos 15 cm. Também não devem ficar expostas ao ar livre por mais de 90 dias e serem separadas por tipo, ou seja, diâmetro, propriedades mecânicas e térmicas.

Diferentes materiais dilatam de formas distintas e, quando armazenados juntos, é possível que um danifique o outro. Outra questão é em relação ao corte incorreto das peças. Nesse caso, pintar a ponta do componente ajuda na identificação do destino dele, evitando o uso inadequado.

Não deixe o cimento em ambientes externos e na presença de umidade

Um item que quase sempre é desperdiçado durante uma obra é o cimento, justamente por armazenamento inadequado. Esse material estraga pelo simples fato de entrar em contato com umidade e, o saco não o protege de forma eficiente. Armazene-o em um ambiente interno, cubra com lonas e, preferencialmente, deixe longe do chão.

A questão do empilhamento dos sacos também deve ser observada, uma vez que, se forem colocadas muitas unidades umas sobre as outras, é bem provável que algumas rasguem ou tombem, causando a perda de material. Não ultrapasse o limite de 10 e sempre siga as orientações do fabricante.

Armazene os agregados em um local seco e plano

Materiais agregados como areia e brita, embora não tenham tanto problema com a umidade, devem ficar longe dela, principalmente se forem muito finos. O vento também pode ser um problema nesses casos e o ideal é cobrir o produto com uma lona. Se possível, coloque-os em um local fechado, até para evitar possíveis roubos.

Esses materiais também devem ficar em locais planos e, assim como o cimento, preferencialmente acima do solo. Também é recomendado separá-los de acordo com a granulometria usando algumas divisórias, a fim de evitar que eles se misturem e contaminem uns aos outros.

simule-um-consórcio-para-reforma
Simule um consórcio para a sua reforma!

Empilhe tijolos e blocos respeitando o limite máximo

Tijolos e blocos podem até parecerem materiais extremamente resistentes, mas eles não são e, uma simples queda ou excesso de umidade podem danificá-los. Empilhe-os em no máximo 10 unidades por 4 de largura e 50 de comprimento, pois, se eles ficarem próximos demais, podem rachar durante a dilatação natural.

Separe as pilhas em pelo menos 80 centímetros, cubra-as com uma lona e coloque-os em uma superfície firme e seca. Preferencialmente, deixe os tijolos e blocos próximos ao local em que eles serão usados. Isso ajuda a evitar quebras durante o transporte do material.

Tenha atenção especial com pisos e azulejos

Pisos e azulejos requerem uma atenção especial, pois costumam ser caros e frágeis. Deixe as caixas na vertical e observe nas embalagens o número máximo de pilhas que o fabricante recomenda, uma vez que isso varia de acordo com o tamanho do revestimento.

Saber como armazenar materiais de obra evita uma série de dores de cabeça durante uma reforma. Verifique nas embalagens qual é a recomendação do fabricante, pois elas podem mudar um pouco. Esteja sempre atento a esses detalhes e não deixe que tudo vire um enorme pesadelo.

Quer outra dica muito boa? Leia nosso texto sobre como escolher os melhores fornecedores para a sua obra e veja como economizar comprando bons materiais

Escreva um comentário