O consórcio está cada vez mais popular no Brasil, sendo uma alternativa aos altos juros bancários e uma forma de organização financeira. No entanto, essa modalidade de crédito não serve só para a compra de bens. O consórcio de serviços também tem ajudado muita gente a conquistar seus sonhos.

Se em financiamentos específicos, como os de imóveis e os de veículos, os juros já são exorbitantes, para empréstimos pessoais as exigências são ainda maiores. Isso porque a contratação de serviços não oferece um bem como “garantia” ao credor.

Nesse cenário, os grupos de consórcio de serviços têm crescido no mercado, conforme os brasileiros percebem que o ideal é planejar-se para ter custos menores. E, também, dinheiro à vista para pagar pelo que querem.

Pintou o interesse nessa modalidade? Então, siga sua leitura e obtenha as informações necessárias antes de contratá-la!

O que é consórcio de serviços e como funciona?

Segundo a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC), o consórcio apareceu no Brasil no final da década de 1960. Começou com a reunião de um grupo de amigos para a compra de automóveis para cada um.

Vendo o sucesso do modelo, as montadoras e concessionárias passaram a organizar seus próprios grupos para facilitar a venda de seus produtos.

Ou seja, o consórcio nasceu e funcionou por muito tempo, basicamente, como uma forma de aquisição de veículos. Entretanto, na década de 1990, com a regulamentação pelo Banco Central do Brasil, a modalidade estendeu-se para o setor imobiliário e para a contratação de serviços.

Com a aprovação da Lei Federal nº 11.795/2008, apelidada de “Lei do Consórcio”, as regras ficaram mais claras. Isso trouxe maior segurança tanto para as administradoras quanto para os cotistas. Assim, os consórcios passaram a abranger, também, a contratação de diversos tipos de serviços e atividades profissionais.

Quais as diferenças do consórcio de serviços para os outros?

Em relação ao modo de funcionamento, não há diferenças para um consórcio de automóveis ou um de imóveis, por exemplo.

Ou seja, os grupos são formados da mesma maneira. A administradora reúne pessoas com interesses comuns. E os consorciados definem qual o valor da carta de crédito que irão receber.

O contrato também é similar. Nele, são descritos direitos e deveres, valores e responsabilidades de cada parte. Além disso, todas as datas de início de término do grupo também constam do documento.

No entanto, há particularidades do consórcio de serviços. E a que mais chama a atenção são os valores das cartas de crédito, pois costumam ser mais baixos do que as de outros tipos de consórcios.

Outra característica marcante são os prazos, via de regra, igualmente menores.

Porém, o que mais diferencia essa categoria é que a carta de crédito só poderá ser usada para a contratação de um serviço, e não para a compra de bens ou produtos. Dessa forma, supre uma demanda de mercado, abrangendo uma série de atividades. E aproximando pessoas da realização de seus sonhos pessoais e objetivos familiares que não cabiam em outras categorias.

No próximo tópico, falaremos mais sobre os tipos de serviços admitidos para contratação por meio de um consórcio de serviços.

Quais os tipos de consórcio de serviços que existem?

O consórcio de serviços é bastante flexível no seu uso, assim como os de outras categorias.

Se, em um grupo que tenha como referência um apartamento, o cotista contemplado pode usar o crédito para comprar um terreno, uma casa ou mesmo quitar um financiamento imobiliário. Da mesma forma, o consórcio de serviços atende a uma gama de atividades.

Com um consórcio de serviços é possível, portanto, contratar atividades profissionais diversificadas. Confira abaixo exemplos de algumas das mais requisitadas nos últimos anos no Brasil.

Realização de festas

Muita gente sonha com um casamento perfeito, com decoração de bom gosto, buffet requintado, música ao vivo e atendimento de qualidade aos convidados.

Porém, isso custa um bom dinheiro, ainda mais com o aluguel do local, carro para a noiva ou o noivo, entre outros detalhes.

Da mesma forma funciona com uma festa de debutante, um bar mitzvá, ou outra comemoração de passagem para os filhos.

Um consórcio de serviços pode ser utilizado para a contratação da organização e realização dessas festas. Outros exemplos são as formaturas, os aniversários e, até mesmo, as comemorações de ano novo.

Passagens ou pacotes de viagem

Quando falamos em uma viagem dos sonhos, logo nos vêm à mente uma lua de mel ou férias inesquecíveis, em lugares paradisíacos e hotéis confortáveis.

E não estamos errados. Uma boa parte das pessoas faz isso mesmo e usa o consórcio para contratar pacotes turísticos nacionais ou internacionais – ou, ainda, cruzeiros em navios luxuosos, para comemorarem o início da vida em casal ou terem as férias inesquecíveis.

Ainda, o consorciado pode presentear alguém, comprando passagens ou pacotes turísticos completos como um incentivo pela formatura de um filho, ou um cruzeiro para os pais curtirem na aposentadoria.

O crédito obtido em um consórcio de serviços cobre todas essas situações citadas e quaisquer outras que envolvam a aquisição de passagens aéreas ou rodoviárias, de roteiros turísticos guiados, hospedagens e traslados nos destinos, por exemplo.

Reformas e serviços para o lar

No Brasil, o fim mais utilizado pelos contemplados nos consórcios de serviços, segundo a ABAC, são as reformas domésticas e outros reparos no lar.

Obras como a substituição de redes hidráulica e elétrica antigas, a adequação do imóvel à legislação vigente e a mudança ou construção de cômodos são só alguns exemplos.

Entretanto, também são cobertas por essa categoria outras atividades, como pintura de paredes e tetos, a colocação de gesso, a limpeza de fachadas e janelas de prédios e consertos de telhados e infiltrações. Ainda, o consórcio pode ser utilizado para a contratação de profissionais como marceneiros, serralheiros, arquitetos, engenheiros e decoradores.

Procedimentos estéticos

Os procedimentos de estética são muito comuns no uso dos consórcios de serviços.

Os mais procurados são as cirurgias plásticas, como a implantação de próteses de silicone nos seios, a moldagem de nariz, orelhas e queixo e as reparações de lesões por acidentes, violência ou doenças.

Porém, o consórcio de serviços pode, também, ser usado para fazer apliques nos cabelos, peeling facial, limpeza de pele, bronzeamento artificial e mesmo para contratar um pacote de beleza completo para presentear a noiva no dia do casamento.

Cuidados com a saúde

Outros procedimentos médicos e contratações de profissionais da área da saúde também são abrangidos pelo consórcio de serviços.

Geralmente, são atividades não cobertas pelos planos de saúde, como na área de oftalmologia, odontologia, ortodontia e exames médicos atípicos.

Assim, o consórcio pode se tornar um investimento interessante para o caso de uma intervenção que a pessoa e sua família saibam que será necessária em breve. Além disso, é uma alternativa para planejar-se para pagar tratamentos com fisioterapeutas, fonoaudiólogos e psicólogos.

Também pode ser usado para dar uma qualidade de vida melhor para um idoso sob seus cuidados, contratando serviços de uma empresa especializada.

Educação: cursos e treinamentos

Com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, cursos e treinamentos constantes são essenciais para conseguir uma boa colocação. Para isso, é possível utilizar o consórcio de serviços também, pagando por cursos técnicos, profissionalizantes, de atualização ou de idiomas.

Da mesma forma, pode custear uma pós-graduação, como um MBA (Master of Business Administration), um doutorado ou mestrado. Ainda, pode ser usado para viabilizar idas a congressos ou treinamentos com especialistas de seu ramo de atividade.

Como deu para perceber, o consórcio de serviços é bem flexível e abrange uma variedade grande de possibilidades para seu uso. Porém, essa versatilidade é apenas uma de suas vantagens. Quer saber quais são as outras e como contratá-lo? No próximo tópico falaremos sobre isso. Não deixe de ler!

Quais as vantagens e como contratar?

O consórcio pode ser uma ótima opção para quem pode esperar pelo crédito e não se importa de começar a contribuir sem ter o serviço realizado.

No entanto, certas vantagens do consórcio frente a outras formas de financiamento são indiscutíveis e, neste tópico, vamos falar sobre elas. Também falaremos sobre a facilidade para aderir a um grupo.

Portanto, confira abaixo 5 vantagens que separamos e veja o que é preciso para contratar um consórcio!

1. Ajuda no planejamento financeiro

O contrato de um consórcio prevê a quantidade e os valores das parcelas, que serão cobradas mensalmente e depositadas em um fundo comum. Esse fundo é gerenciado pela administradora, de onde saem as cartas de crédito.

Ou seja, é um valor que, cedo ou tarde, retorna para o cotista.

Assim, o consorciado se obriga a contribuir para alcançar suas próprias metas. Esse compromisso afasta a possibilidade de esquecer-se de poupar em algum mês e de cair na tentação de gastar com supérfluos. Ou, pior ainda, perder-se nas contas e não sobrar recursos para seu objetivo.

2. Oferece flexibilidade

O uso do crédito obtido em um consórcio é bastante flexível, admitindo a compra ou contratação de qualquer bem ou serviço.  Mas o item tem que se enquadrar na mesma categoria para a qual o grupo foi criado. Ou seja: automóveis, imóveis, motos ou serviços.

Assim, o consórcio de serviços difere-se, por exemplo, de um financiamento específico para construção e reformas.

Com a carta de crédito, é possível fazer uma reforma, mas também optar por uma série de outros ramos de atividade. Entre eles, viagens, estudos, serviços de saúde e estética, festas.  Isso, tendo todo o prazo do início do pagamento das parcelas até a retirada da carta de crédito para se decidir.

3. Funciona como um investimento

Quando o consorciado é contemplado, recebe a carta de crédito com o valor atualizado, evitando a perda do poder de compra. E, como não há cobrança de juros nem de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), o crédito sai mais barato do que em financiamentos comuns.

Caso o consorciado não queira fazer uso do crédito após a contemplação, o valor que tem a receber é apartado do fundo comum e aplicado, rendendo juros. Por esses motivos, podemos dizer que o consórcio é um tipo de investimento.

4. Dá poder de compra à vista

Você já deve ter visto que muitas lojas e empresas dão descontos para quem faz o pagamento à vista. Dificilmente alguém consegue guardar dinheiro suficiente para contratar um serviço um pouco mais caro, como uma reforma da casa ou um pacote turístico, pagando de uma só vez.

Porém, esse é o caso de um consorciado. Afinal, o crédito do consórcio é transferido diretamente na conta do prestador de serviços, como um pagamento à vista.

Assim, é possível usar esse diferencial para conseguir descontos ou benefícios na hora da contratação.

5. Não são cobrados juros nem impostos

O consórcio, por ser uma união voluntária de pessoas físicas ou jurídicas para constituírem um fundo comum, não cobra juros. Afinal, não é um empréstimo, mas um autofinanciamento coletivo.

Da mesma maneira, não há operações financeiras que justifiquem a cobrança de IOF, como em um financiamento bancário, em que a instituição lucra sobre o dinheiro emprestado.

O consórcio age, portanto, como uma poupança coletiva da qual, a cada mês, sai o valor necessário para que um ou mais participantes adquiram seu produto ou serviço.

Como contratar um consórcio de serviços?

Para contratar um consórcio de serviços as exigências são mínimas, assim como em outras categorias. Ou seja, é preciso escolher uma administradora confiável e um grupo compatível com suas necessidades e apresentar, basicamente, sua documentação pessoal (documento de identidade e CPF) e um comprovante de residência para a elaboração do contrato.

Claro que essas exigências podem mudar dependendo da administradora. Entretanto, geralmente é bem simples a adesão a um grupo e não passa nem perto da burocracia de um financiamento bancário.

A maior parte da documentação, mesmo, é entregue somente no momento da contemplação para a liberação do crédito. Nessa ocasião, é pedido:

  • comprovantes de renda como garantia para o pagamento das parcelas ainda por vencer;
  • consulta a órgãos de proteção ao crédito;
  • documentos do serviço a ser contratado;
  • entre outros que a administradora julgar pertinentes.

Ao longo deste tópico falamos bastante em contemplação e em carta de crédito, mas você sabe exatamente o que elas são e como funcionam? É exatamente sobre isso que trataremos no tópico seguinte.

Como é a contemplação e a carta de crédito?

Se todos os consorciados do grupo pagarem em dia suas parcelas, já na primeira assembleia é possível que tenham arrecadado um valor suficiente para entregar o crédito de um ou mais cotistas.

Isso ocorre por meio da contemplação do consorciado com uma carta de crédito. Abaixo, falaremos um pouco mais sobre esses dois termos importantes no funcionamento de um consórcio.

Contemplação

O intuito de um consórcio é fazer com que todos os integrantes consigam ter crédito para contratar os serviços desejados. A cobrança de parcelas é fixada em contrato e funciona como uma poupança conjunta.

Além de haver um compromisso mútuo entre os cotistas para que poupem, o dinheiro arrecadado a cada mês viabiliza créditos antecipados a um ou mais cotistas. Isso ocorre até que as últimas contribuições sejam quitadas e todos os consorciados recebam suas cartas de crédito.

Essa disponibilização do valor contratado ao consorciado é chamada de contemplação. As formas de contemplação e os procedimentos para a escolha dos integrantes que serão contemplados antecipadamente devem estar previstos no contrato de adesão ao grupo.

Carta de crédito

Como vimos acima, quem é contemplado em um consórcio não recebe seu dinheiro em espécie ou em um depósito em sua conta bancária pessoal. No consórcio, o valor é repassado por meio de uma carta de crédito.

Esse documento é o que garante ao prestador de serviços que o valor de seu orçamento está disponível para pagá-lo. Assim, ao fecharem o contrato, a quantia é repassada diretamente ao fornecedor.

Outro benefício é poder usar a carta de crédito para adquirir e contratar serviços diversos, como já mostramos em tópicos anteriores. Ainda, ela não precisa ser usada imediatamente após a contemplação. O consorciado tem a opção de deixá-la com a administradora, que aplicará em um fundo de investimento à parte, recebendo rendimentos que são repassados ao consorciado.

A contemplação e o recebimento da carta de crédito são os momentos mais aguardados para quem adere a um grupo de consórcio. Suas regras devem ser adequadas para que você possa contratar o serviço desejado sem frustrações. Portanto, é importante saber como escolher o melhor para o seu caso.

Como escolher um consórcio de serviços?

Ao pesquisar por um consórcio de serviços, uma enormidade de empresas e propostas aparecerão, prometendo muita coisa, mas falando pouco de seu funcionamento e mesmo da própria administradora.

Apesar de alguns valores parecerem atraentes, é preciso tomar certos cuidados para escolher um consórcio que funcione corretamente, com assembleias periódicas e contemplações justas.

Além disso, certificar-se de que a administradora é capaz de gerenciar o fundo comum é fundamental para evitar problemas futuros.

Portanto, confira abaixo algumas dicas valiosas para escolher o consórcio de serviços ideal para você.

Pesquise sobre a administradora

Antes de entrar em um consórcio, é preciso saber se a empresa que o administra é íntegra e habilitada para oferecer esse tipo de serviço.

Quem regulamenta e fiscaliza as administradoras e os grupos de consórcio é o Banco Central do Brasil. Assim, a primeira coisa a se fazer é consultar o site da instituição para conferir a situação da empresa e comparar os dados cadastrais e de contato apresentados a você.

Outra fonte de pesquisa é a ABAC, associação que representa o Sistema de Consórcios no país inteiro, conferindo se a administradora é uma associada, pois para isso, a empresa precisa cumprir uma série de exigências legais e éticas.

Confira prazo e valor das parcelas

A intenção do consórcio é facilitar a vida e a situação financeira das pessoas, e não complicá-las mais ainda.

Por isso, é importante conferir se o prazo e o valor das parcelas são condizentes com suas expectativas e possibilidades.

Afinal, quanto maior o prazo de funcionamento do grupo, mais diluído é o valor do crédito, reduzindo as parcelas mensais. No entanto, isso pode aumentar o tempo de espera até ser contemplado.

Na hipótese de um prazo menor, as parcelas ficam maiores, o que pode dificultar seu pagamento, mas agilizar o recebimento da carta de crédito. Portanto, o ideal é conferir suas possibilidades financeiras e a urgência para a execução do serviço desejado.

Conheça os benefícios incluídos nas parcelas

Apesar de não cobrar juros nem IOF, os contratos de consórcios de serviços podem oferecer alguns benefícios para maior segurança dos cotistas.

Como exemplo, podemos citar:

  • a inclusão de seguros por morte
  • inadimplência ou desemprego, a depender do contrato
  • ou um fundo de reserva para que, no caso de uma eventualidade com um dos integrantes, os demais cotistas não sejam prejudicados.

Procure pelo contrato que ofereça o melhor custo-benefício para você com relação às taxas e à segurança que elas trazem para sua carta de crédito.

Saiba como se dão as contemplações

Neste artigo, já falamos sobre as formas de contemplação: o sorteio e a disputa de lances. Porém, as maneiras como elas serão realizadas podem variar entre as administradoras e até mesmo entre os grupos.

O ideal é saber como as contemplações se darão durante a vigência do consórcio de serviços pretendido. Veja como é feito o sorteio e quais as regras nas disputas de lances. Alguns itens a considerar:

  • se permitem lances embutidos
  • quais os percentuais máximos
  • a periodicidade e a quantidade de cartas de crédito disponibilizadas
  • entre outros fatores

Leia o contrato atentamente

Em todos os ramos de atividade, existem profissionais e empresas que se utilizam de métodos pouco éticos para venderem seus produtos ou serviços. Felizmente, eles são minoria no mercado de consórcios.

Nesse caso, a prudência é sempre a melhor arma para se defender de golpes e evitar transtornos. Portanto, leia atentamente o contrato de adesão antes de assiná-lo. Se tiver qualquer dúvida ou insegurança, procure uma opinião especializada. A própria ABAC tem um canal específico para esclarecer essas questões.

Como vimos, aderir a um consórcio de serviços é interessante para quem quer se planejar para a contratação de reformas, pacotes turísticos, cursos, procedimentos estéticos e cuidados com a saúde.

A flexibilidade da carta de crédito, além dos prazos menores e valores baixos, torna essa modalidade bastante acessível e ideal para quem quer presentear um ente querido.

O que achou do consórcio de serviços? Ficou com alguma dúvida ou insegurança? Então, entre em contato para que nossos consultores possam te ajudar sem nenhum compromisso.

Leia também:

5 bons motivos para fazer uma pós-graduação pelo consórcio
5 sinais de que chegou a hora de reformar a casa

Escreva um comentário