Com a crise econômica, apostar em um financiamento imobiliário se tornou um grande risco.

Diante disso, muitas pessoas, que sonhavam com a aquisição de um imóvel, resolveram investir em um negócio mais viável: o consórcio de imóveis.

Por mais que esse sistema de compra seja bem aceito, muitas pessoas ainda se preocupam com sua legitimidade. 

Pensando nisso, resolvemos reunir neste post 10 mitos sobre consórcio de imóveis. Dessa forma, você pode tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto e formar uma opinião sobre esse investimento com tranquilidade. Ficou interessado? Acompanhe a leitura!

1. Para ser contemplado é preciso ter sorte

Em um consórcio, todos os membros — que pagam a mensalidade em dia — podem igualmente ser contemplados.

Isso significa que não há privilégio para nenhum cotista, ou seja, todos os participantes do grupo têm a mesma chance de conseguir a carta de crédito durante os sorteios organizados pela administradora.

Contudo, existe outra forma de conseguir a contemplação no consórcio: os lances. Com eles, o consorciado tem a chance de adiantar parcelas e ganhar a sua carta de crédito antecipadamente.

É importante destacar que existem 3 modalidades de lances:

  • lance livre: como no leilão, quem oferta o maior lance leva a carta de crédito;
  • lance fixo: o cotista faz uma oferta que deve ser de 25% ou 50% do valor total da carta de crédito e, caso mais de um membro faça um lance nessa categoria, a bolinha sorteada dita quem ganha a carta de crédito. Nesse tipo de lance, o membro do grupo pode usar uma parte do seu crédito como lance. A quantia ofertada é descontada no momento em que o participante recebe seu crédito;
  • lance antecipado: o consorciado antecipa o valor que quiser e pode utilizá-lo como fundo para um futuro lance ou para o abatimento de parcelas.

2. O consorciado é prejudicado se houver reajuste anual

Quando há reajuste na prestação do consórcio, o valor da carta de crédito também passa por uma correção monetária.

Isso significa que, se uma cota de R$ 100 mil sofrer um reajuste de 3,7%, o cotista será contemplado com um crédito de R$ 103.700.

3. Qualquer um pode administrar um consórcio

Apenas empresas que são fiscalizadas e regulamentadas pela ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios) pelo Banco Central do Brasil (Bacen) podem trabalhar com o sistema de consórcios.

4. Consórcios de imóveis são arriscados

Conforme apontado, um consórcio de imóveis precisa da autorização do Bacen para funcionar. Desse modo, não existem riscos quando a cota adquirida é vendida por uma empresa confiável. 

Além disso, é importante ressaltar que, assim como nos financiamentos, existem regras predeterminadas nos consórcios que impedem práticas suspeitas ou ilegais, o que torna o sistema mais seguro para os consorciados.

5. Não é possível utilizar recursos do FGTS para pagar as prestações de um consórcio de imóveis 

Essa informação até já foi verdadeira um dia. No entanto, com a publicação da Lei nº 12.058 de outubro de 2009, passou a ser falsa.

Desde março de 2010, os recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) passaram a poder ser utilizados para:

  • ofertar lances;
  • completar o valor de uma carta de crédito;
  • amortizar parcelas de consórcios imobiliários.

Contudo, para que os recursos do FGTS possam ser usados, é necessário que: 

  • a conta do FGTS esteja no nome do consorciado;
  • o valor da carta de crédito não ultrapasse R$ 500 mil;
  • o imóvel desejado pelo cotista seja residencial.

6. Deixar de pagar uma parcela implica na perda do consórcio

Não existem grandes implicações para o consorciado que não faz o pagamento de uma parcela do consórcio. Todavia, atrasos superiores a 30 dias resultam em consequências para o participante. Entre elas:

  • não participação em sorteios;
  • proibição na oferta de lances;
  • ação judicial para apreensão do imóvel — para o caso de o cotista já ter sido contemplado. 

Essas penalidades ocorrem porque o bom andamento de um consórcio depende dos valores arrecadados mensalmente e, se um membro fica inadimplente, todo o grupo é afetado. 

7. Só poderei retirar o modelo de imóvel que é oferecido no consórcio

No consórcio imobiliário é possível comprar qualquer tipo de bem que pertença à categoria de imóveis. Isso quer dizer que o consorciado pode adquirir um imóvel, usado ou novo, residencial ou comercial.

Além disso, o cotista também pode usar o valor da carta de crédito para comprar um terreno, construir um imóvel, fazer reformas ou liquidar um financiamento imobiliário.

8. É preciso dispor de uma quantia alta para investir no consórcio

O consórcio envolve a união de pessoas físicas e/ou jurídicas que partilham um objetivo em comum: reunir recursos para a compra de determinado bem.

Essa reunião de indivíduos dá origem aos grupos de consórcios. Neles, não há a necessidade de dar uma entrada, como ocorre nos financiamentos.

Para participar, basta que o cotista contribua mensalmente com a quantia preestabelecida pela administradora do consórcio.

9. Não existem vantagens no consórcio de imóveis

Pelo contrário: existem diversas vantagens na contratação de um consórcio de imóveis. Entre elas, podemos destacar:

  • poder de antecipação da compra: é possível adiantar a contemplação ofertando lances;
  • contratação de crédito menos burocrática;
  • compra do bem à vista: mesmo pagando parcelas, a quantia contratada é entregue integralmente ao consorciado, permitindo que ele barganhe na hora de comprar um imóvel à vista;
  • atualização do crédito — de acordo com a variação no valor das prestações;
  • redução da carga tributária: um financiamento pode custar até cinco vezes mais que um consórcio. Isso porque, enquanto o financiamento tem juros de 10% ao ano, as taxas administrativas de um consórcio ficam em torno de 2% ao ano.

10. O prazo para pagamento do consórcio é muito pequeno

O prazo para o pagamento das cotas de um imóvel no valor de R$ 200 mil, por exemplo, pode chegar a até 180 meses — limite de tempo maior do que o de muitos financiamentos disponíveis no mercado.

Como você deve ter notado, o consórcio imobiliário é uma excelente alternativa para as pessoas que desejam fazer um investimento seguro e fugir dos juros altos, mas não conseguem economizar dinheiro para adquirir um imóvel à vista. Se esse é o seu caso, invista sem medo, pois o consórcio foi idealizado para pessoas como você!

Agora que você já conhece os principais mitos sobre consórcio de imóveis, que tal entrar em contato com a gente e deixar o medo para trás? Com o apoio da Embracon, crise nenhuma fará você desistir do sonho de ter o seu imóvel próprio!

Escreva um comentário