fbpx

Conseguir construir uma casa dos sonhos é uma das realizações mais comemoradas pelos brasileiros. E não é para menos, afinal, garantir a compra de um lar seguro e confortável para toda a família é uma grande conquista.

Mas, antes da felicidade de ver a casa pronta, você vai passar por um processo trabalhoso: o planejamento e a execução da obra. Para que tudo dê certo, é preciso pensar muito bem em como a casa deve ser, calcular os gastos e investir de forma certeira em bons materiais e profissionais.

Além do mais, a sua residência precisa ser funcional para sua família não só no momento presente, mas também no futuro. É por isso que levar em consideração a composição, bem como os hábitos da família é um item muito importante.

Continue lendo o post para conhecer o guia completo sobre a construção do seu lar e usufruir desse bem do jeito que você sempre quis. Aproveite a leitura!

Como construir uma casa passo a passo?

Quando vamos construir o primeiro imóvel, é essencial ter em conta nossos gostos, hábitos e rotinas atuais, porém, deve-se pensar em quais podem ser as necessidades futuras.

Geralmente, quando se constrói uma casa, temos a meta de viver longos anos nela. Logo, ao elaborar o projeto do novo lar, pense se, dentro de alguns anos, você precisará de um número maior de quartos (para futuros filhos), um jardim para ter cachorros e uma garagem com mais espaço.

É necessário pensar em possíveis elementos indispensáveis para que a sua casa possa fazer parte não apenas do presente, mas que também se encaixe perfeitamente no seu futuro. Por isso, dividimos este conteúdo em etapas. Assim, aquelas pessoas que desejam adquirir a sua casa não errarão, do primeiro passo até sua mudança.

Planejamento: passo fundamental para construir

A construção de uma casa dos sonhos começa por um bom planejamento. Não por acaso, o resultado final dela dependerá muito de como ele foi feito, bem como da sua execução. Não existe necessariamente uma fórmula, mas existem algumas etapas que você precisa levar em conta e algumas dicas que devem ser consideradas úteis para quem está na fase inicial do projeto. Isso inclui a aquisição por meio de consórcio de imóveis.

Seguem alguns elementos que são necessários na tomada de decisões para executá-los antes do início das obras. São eles:

  • terreno;
  • investimento;
  • planta;
  • mão de obra;
  • materiais de construção.

Ao longo do post, vamos explicar os itens citados, entre outros que não podem faltar.

1. Escolha o terreno

É lógico que, em um loteamento residencial, você construirá uma casa, mas de nada adianta começar a procurar um terreno sem saber que construção você deseja realizar. Com isso definido em mente, você conseguirá escolher o terreno adequado para o seu empreendimento. Para tanto, leve em consideração os seguintes aspectos.

Localização

Uma questão bem importante é escolher o bairro para morar. É recomendável a verificação cuidadosa da região em que se encontra o terreno. Assim, procure saber sobre a segurança da região. Descubra se há muito barulho, se há casas noturnas ou outras edificações com uso similar.

Legislação

Também é fundamental consultar a legislação municipal e verificar quais são as restrições legais do seu terreno. Geralmente, são encontradas as seguintes restrições na lei:

  • recuos frontais e laterais;
  • taxa de ocupação;
  • coeficiente de aproveitamento;
  • altura total.

Consulte junto aos órgãos ambientais do município se o lote se encontra próximo de uma APA (Área de Proteção Ambiental) ou mananciais, nascentes, e outros elementos que podem trazer restrições para construir uma casa no seu terreno. Se o terreno for em um condomínio, verifique também as regras do estatuto.

Tamanho

É importante estar atento à largura do terreno. Independentemente do porte da edificação que você pretende construir, evite lotes muito estreitos, já que isso poderá gerar problemas na distribuição dos cômodos.

Composição do solo

Mais um elemento que deve ser levado a sério é a composição do solo. Há casos em que ela pode inviabilizar a aquisição, como terrenos com galerias fluviais. Consulte qual é o tipo de solo com o engenheiro da empresa responsável pelo terreno para investir, e verifique se é arenoso ou argiloso.

É importante verificar se há lençol freático próximo ao seu terreno. Também evite lotes em situação de aterro, já que os custos das fundações costumam ser altos, devido à profundidade que precisam atingir.

Topografia

Outra questão é a topografia, um aspecto fundamental que vai impactar tanto a estética da edificação quanto os custos. Será possível encontrar terrenos com diferentes topografias, como:

  • terreno plano;
  • terreno em aclive;
  • terreno em declive.

Em todas as situações, um bom profissional conseguirá adotar uma solução para uma edificação adequada. Porém, soluções para o caso de aclive e declive serão mais onerosas.

Incidência solar

Quanto à incidência solar, em termos gerais, é possível considerar o seguinte: o lado norte recebe o sol mais forte do dia e costuma ficar quente por boa parte dele. A área leste recebe os raios de sol no período da manhã. No caso da porção oeste, também é quente, pois é onde incide o sol da tarde. Já o lado sul recebe a claridade do sol sem tanto calor.

Infraestrutura

Procure saber quais serviços chegarão ao seu terreno: água, rede de esgoto, luz, gás encanado, telefonia, internet, coleta de lixo etc. Verifique ainda se o local será pavimentado corretamente.

2. Desenvolva o projeto arquitetônico

O ponto essencial para a construção do seu imóvel é a aplicação de um projeto arquitetônico. Ele é a conexão para atingir a sua ideia dentro de uma obra, de modo desenhado e escrito.

Assim, independentemente da dimensão e da capacidade do lar, é interessante e fundamental realizar um projeto deste tipo para que a construção mantenha funcionalidade, conforto e o tamanho ideal do imóvel.

Para tal, é preciso um profissional com competência técnica para transmitir todos os dados a ele para que retenha as preferências e necessidades do cliente, adequando-as com a legislação vigente. De forma prática, as fases de um projeto arquitetônico são as seguintes!

Estudo preliminar

Essa é a fase de criação do projeto arquitetônico. Nela, encontram-se funções mais iniciais, como levantamento de informações do terreno. Ainda é fundamental realizar uma averiguação das necessidades do cliente e, também, da consulta de viabilidade do projeto. Em seguida, se faz um esboço dele.

Anteprojeto

É a etapa da estruturação do projeto que vai subsidiar o projeto legal, realizada para a aprovação no município. Nessa lógica, é durante essa fase que se traz a consolidação de todos os dados levantados na análise preliminar. É quando o projeto começa a ganhar forma e, então, se definem as outras características da moradia.

Projeto básico

Nessa etapa é que se faz a formalização e adequação do anteprojeto, com as diretrizes regulamentadas pelos respectivos órgãos do distrito ou cidade. Nesse momento, é preciso passar pela aprovação da prefeitura municipal. Assim, é preciso reunir a documentação exigida em cada localidade sobre a habitação e entrar com o processo de aprovação.

Projeto executivo

Essa é a fase final do projeto arquitetônico. No projeto executivo, se faz todo o detalhamento dos documentos utilizados para a execução da obra, explicitando as informações de maneira objetiva e clara.

Além das plantas e detalhes construtivos feitos no projeto básico, no executivo é realizada a definição de materiais de construção, acabamentos e telhados. Ele encaminha ainda os programas complementares, como planejamento estrutural, elétrico e hidráulico.

Por fim, para a realização e a consolidação da casa dos sonhos, pode-se avaliar a necessidade de um profissional com capacidade técnica para executá-lo. Aliado a isso, é fundamental a participação do cliente, sobretudo, nos estágios iniciais e finais, em que é primordial haver as apresentações de preferências internas da residência.

3. Defina a forma de pagamento da mão de obra e materiais

Para ser viabilizado, todo projeto precisa de um orçamento. Lembre-se de que o custo total da sua casa será a soma dos valores investidos no projeto arquitetônico, elétrico, hidrossanitário, impostos, custos administrativos, mão de obra, terreno e materiais.

Quanto aos projetos, você tem, entre outras opções, a possibilidade de avaliar dezenas de projetos prontos e, se preferir dar o seu toque, solicitar adequações com as modificações que desejar. Basta pesquisar em um catálogo virtual de projetos de casas o que mais se aproxima do seu desejo.

Quanto aos outros itens, existe uma maneira simplificada para realizar o cálculo, por meio do CUB (Custo Unitário Básico), disponibilizado pelo Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil) nos diversos estados brasileiros.

Para ter uma avaliação, também é possível encontrar no site uma Estimativa de Orçamento com o custo de cada projeto. Ou se preferir, basta multiplicar o valor do CUB do seu estado pela metragem da planta da casa desejada para descobrir o orçamento-base da sua futura residência.

4. Contrate uma construtora de confiança

Trabalhando com uma construtora na realização da sua casa, você terá acesso a esses profissionais e poderá discutir com eles, de maneira clara e embasada, o porquê do uso de determinado material ou da posição de um determinado cômodo na planta.

O dinheiro da contratação pode ter origem no consórcio imobiliário. Isso traz ainda mais confiança no processo e deixa você tranquilo para cuidar de outras questões pessoais sem ter que acompanhar a obra diariamente.

As construtoras normalmente atuam com plantas já prontas, que podem ser decididas pelo proprietário. Tanto no contrato quanto no projeto para construir uma casa, já ficam especificados:

  • os materiais a serem usados;
  • o tipo de construção;
  • a quantidade de cômodos;
  • as suas respectivas localizações, e demais detalhes.
simule-um-consórcio-para-reforma
Simule um consórcio para a sua reforma!

5. Compre os materiais necessários

Abaixo, separamos uma lista básica de materiais de construção para obra para quem deseja começar uma e não sabe quais os itens necessários para realizar uma cotação. Vejamos quais são:

  • fundação da obra;
  • alvenaria e estrutura;
  • cobertura;
  • hidráulica;
  • reboco;
  • fechamentos;
  • instalação elétrica, telefonia, rede, TV a cabo;
  • revestimentos;
  • acabamento.

Ao contratar uma construtora, essa função será integralmente dela. Porém, caso opte por contratar profissionais autônomos, essa tarefa é transferida ou compartilhada com o dono da obra.

Alicerce e estrutura

O alicerce é a base onde a casa ou o muro será construído. No caso de uma base sólida, ela dará sustentação para toda a construção. Uma base com problema poderá transferir essas falhas para a casa, provocando infiltrações, rachaduras, trincas e outros problemas.

Em função disso, é altamente indicado que, ao finalizar o alicerce, se faça uma ótima impermeabilização dele com impermeabilizante à base asfáltica ou base de concreto. Com efeito, o ideal mesmo seria os dois. Com isso, a infiltração que vem do solo não terá como passar e chegar até às paredes da casa.

O mais adequado é que o engenheiro realize essa definição, dado que cada construção tem suas próprias peculiaridades. Mas, geralmente, são utilizados blocos sólidos, como de concreto ou tijolinho maciço.

Além disso, há as colunas ou brocas de concreto e aço. Cabe ao engenheiro civil calcular o melhor material, bem como a melhor forma de fazer as brocas, colunas e o próprio alicerce.

Instalações elétricas e hidráulicas

Durante a construção do imóvel, todos sabem da relevância de um bom projeto arquitetônico, que ajuda na hora de construir e legalizar a obra. Porém, quando se trata de um projeto hidrossanitário e instalações prediais elétricas, as pessoas comumente não veem influência de realizar esses projetos, porque não são obrigatórios para a legalização da obra.

Por isso, falar sobre esse tema é relevante para que o morador da casa dos sonhos não tenha pesadelos, ao evitar futuras complicações em ambas as instalações.

Materiais de baixa qualidade, emendas malfeitas e desapropriadas são constantemente os vilões pelo desperdício de energia e água. Um fio elétrico de espessura inadequada pode superaquecer, ocasionando a perda de energia, por exemplo. Por meio de um projeto de instalações bem implementado, falhas como essas podem ser facilmente evitadas.

Além do projeto, instruir-se com um profissional para compreender como tomar medidas mais sustentáveis, como a captação de água da chuva ou utilizar energia solar, pode ser uma excelente opção para economizar. Desse modo, um projeto de instalações realizado de modo eficaz pode diminuir consideravelmente as contas de luz e água de sua casa.

Por fim, sempre procure um profissional qualificado que entenda a necessidade de um projeto de instalações prediais bem-feito e que lhe traga segurança e conforto. A possibilidade de amargar com prejuízos e dores de cabeça por não ter um projeto de instalações prediais não vale o risco de buscar a economia de não realizá-lo.

Acabamentos

Os acabamentos consistem em  uma série de ações necessárias para que a construção da casa ou apartamento seja finalizada, e acontecem quando a obra chega à etapa de finalização e fica cada vez mais próxima do resultado final. Conheça alguns exemplos de trabalhos que são realizados durante essa fase:

  • instalação de pisos e azulejos;
  • pintura de paredes e iluminação;
  • colocação de esquadrias (portas e janelas);
  • assentamento de pias e tanques;
  • colocação de vasos sanitários e boxes de banheiros;
  • instalação de louças e metais.

Essa é uma das etapas mais caras da obra, porque o acabamento escolhido interfere diretamente no valor final. Existem acabamentos mais simples e outros que são mais sofisticados. Por isso, é fundamental escolher os materiais adequados ao seu gosto e seu orçamento.

Para realizar essa etapa com qualidade, é necessária a contratação de uma construtora ou de profissionais autônomos de diversas especialidades — marceneiro, assentador de piso, gesseiro, pintor, entre outros trabalhadores que devem estar presentes.

A fase de acabamento é um momento muito prazeroso para os proprietários. Afinal, é quando a alvenaria sai de cena e a construção começa a ganhar aparência de lar. Em outras palavras, essa etapa é essencial para que a casa fique como foi sonhada e planejada.

Por meio dos acabamentos, é possível garantir o conforto, a praticidade e o estilo da residência. A seguir, veja como alguns aspectos influenciam diretamente o ambiente interno e externo da casa!

Pintura

A definição das cores das paredes da casa é muito importante. Além de ser essencial para a decoração, a cor pode fazer com que um ambiente pareça maior, mais alegre e criativo. A qualidade e a marca das tintas usadas na pintura também devem ser consideradas. Optar por tintas laváveis de boa procedência facilita a higienização das paredes e as conserva em bom estado por mais tempo.

Iluminação

Muito mais do que apenas iluminar, escolher as lâmpadas corretas pode fazer uma grande diferença em todos os cômodos da residência — elas podem dar a sensação de relaxamento ou de concentração, além de destacar e valorizar os móveis e estruturas do ambiente. Se um local vai ser usado para descanso, por exemplo, o ideal é que a iluminação seja indireta.

Pisos, azulejos e revestimento

Pisos, azulejos e o revestimento protegem a estrutura da construção e evitam que se desgaste com o passar do tempo. Existem pisos que são mais fáceis de limpar e que não mancham com tanta facilidade, mas que também servem para embelezar e trazer conforto ao ambiente.

Se a temperatura do local for alta, é possível usar pisos frios para melhorar o conforto térmico. Da mesma forma, eles também podem contribuir para a redução de efeitos sonoros.

Escolher o material de acabamento certo também contribui para a decoração de banheiro. Diversas cores, texturas, tamanhos e materiais podem auxiliar a tornar os banheiros lugares mais acolhedores e bonitos — tudo isso sem perder de vista a segurança e a funcionalidade. O chão do banheiro, por exemplo, precisa ser revestido com material antiderrapante e que resista à água para não necessitar de reparo antecipado.

Portas e janelas

Esteticamente, são fundamentais para a composição da decoração, tanto da parte interna quanto da área externa da casa. Podem ser fabricadas em vários materiais: madeira, alumínio, vidro etc.

A escolha das janelas interfere na ventilação e na iluminação natural dos cômodos da casa. Já a definição da largura e tamanho das portas é importante para não comprometer o conforto dos moradores e visitantes. Você não precisa decidir tudo isso sozinho — pode receber a ajuda de um profissional especialista na área. O mais indicado para orientar essas decisões é o designer de interiores.

Além de harmonizar os estilos de todos os moradores, ele também vai gerir a equipe de colaboradores necessários nessa etapa da obra. Como especialista da área, ele saberá como e o que pedir para cada colaborador, evitando ruídos de comunicação e desgastes sem necessidades.

A maioria dos designers trabalha em parceria com fornecedores de materiais para acabamentos e decoração. Sendo assim, a contratação desse profissional ainda pode fazer com que você ganhe descontos na compra dos materiais.

6. Faça a mudança

Mudar para uma casa nova é uma grande oportunidade para suprir necessidades, repensar planos e redefinir o que é importante na sua vida. Com a mudança, será possível solucionar problemas com relação ao espaço e às distâncias percorridas entre o lar e a os lugares mais frequentados por você e os todos os integrantes da família.

A mudança também possibilita uma abertura até mesmo para sair do aluguel e comprar a primeira casa própria, importante decisão que garante mais estabilidade e segurança. Além disso, representa um investimento e a formação de um patrimônio.

Morar em um novo lugar também ajuda a tirar o que já não é mais necessário da sua vida. Isso abre espaço para as novidades. Durante a mudança, é comum o processo de limpeza, deixando para trás objetos que não são mais úteis ou que foram acumulados sem motivo. Com isso, ficará mais fácil definir o que será mantido e o que é importante para a família.

Em resumo, agora sabemos todos os detalhes para se construir uma casa. Basta seguir o nosso guia absolutamente completo para não errar e usufruir do lar que sempre desejou. Caso alguma das etapas não dê certo, poderá ocasionar problemas no futuro, que podem ser evitados, como uma má localização, terreno acidentado e outros pontos já comentados. Faça uma boa escolha seguindo os passos indicados e boa sorte!

Gostou do post? Aproveite para receber nossos conteúdos periodicamente atualizados. Basta assinar a nossa newsletter!

simule-um-consórcio-de-imóvel
Realize o sonho da casa própria com o consórcio

Escreva um comentário