fbpx

O financiamento é uma forma muito comum de aquisição de bens de maneira imediata. Você saiba que a carta de crédito do consórcio pode ser usada para a quitação de financiamento?

Vamos começar do princípio. O financiamento funciona por meio da contratação de empréstimos junto a instituições financeiras, porém com o pagamento de juros bastante significativos, que podem chegar a 17,5% ao ano.

Essas taxas elevadas acabam dificultando, a longo prazo, a quitação de financiamento.

Por outro lado, o consórcio é uma opção para aquisição programada. Pessoas interessadas na compra do mesmo bem formam um grupo e essa soma de esforços possibilita que ele seja adquirido sem a necessidade de pagamento de juros.

Mas, o que pouca gente sabe, é que a carta de crédito de um consórcio pode ser utilizada para a quitação do financiamento de um carro, imóvel ou equipamento.

Ficou interessado? Quer se livrar das altas taxas de juros do seu financiamento utilizando uma carta de crédito? Então, siga a leitura do post e saiba como fazer isso.

O que é a carta de crédito?

A carta de crédito é o montante de dinheiro necessário para adquirir determinado bem.

Ao entrar em um consórcio, você determina esse valor. A administradora, então, abre um grupo com os interessados nesse mesmo bem, que pode ser um imóvel, um carro etc. A partir daí, os participantes começam a pagar parcelas — sem juros — durante o período previsto em contrato.

A administradora do consórcio passa a fazer a gestão desse dinheiro e dos sorteios. Mensalmente, alguém é sorteado e recebe a carta de crédito no valor solicitado. Depois de adquirir o bem, o consorciado segue pagando as parcelas até o final do período estipulado.

Para quem prefere não contar com a sorte, há a possibilidade do lance. Nesse caso, quem antecipa o maior número de parcelas de pagamento leva a carta de crédito.

Por exemplo: um participante que, segundo contrato, vai pagar 100 parcelas de R$ 2 mil pode adiantar R$ 100 mil e, assim, quitar 50 parcelas. Isso é um lance!

Em qualquer uma dessas possibilidades — sorteio ou lance — o valor vai para uma conta vinculada, isto é, o participante só pode sacar esse dinheiro para a aquisição do bem estipulado.

A carta de crédito apresenta algumas vantagens. Veja só:

  • Segurança: ela só pode ser usada pelo solicitante. Sendo assim, é possível ter um controle total sobre o valor recebido;
  • Garantia do poder de compra: isso porque, diferentemente de uma operação de transferência tradicional, não é necessário pagar impostos ou taxas que seriam devidas caso esse recurso financeiro entrasse diretamente na sua conta;
  • Pagamento à vista: como a carta de crédito é utilizada de maneira muito semelhante a um pagamento à vista, ela garante seu poder de negociação, já que o vendedor sabe que receberá o valor do produto no curto prazo.

Por que utilizar a carta de crédito para quitação de financiamento?

A quitação de financiamento garante o desconto sobre juros futuros, isto é, sobre os juros que você pagaria, mas que, com a quitação, deixará de pagar.

Uma pessoa que fez um empréstimo de R$ 300 mil no banco, por exemplo, paga por um recurso que vai demorar 360 meses para quitar.

Por isso, ao final, os juros são extremamente altos. Mas, quando consegue quitar com antecedência, essa pessoa elimina os juros futuros do financiamento. Sendo assim, é sempre vantajosa a quitação.

Para isso, existem duas possibilidades: o pagamento à vista ou a carta de crédito.

Para quem fez um financiamento, é sempre difícil pagá-lo à vista. Isso acontece, geralmente, em condições bastante específicas, como quando se perde o emprego e, com a rescisão, quita-se a dívida.

Sendo assim, e levando-se em conta a dificuldade que a maioria das pessoas têm para poupar, a carta de crédito aparece como uma excelente opção para quem quer se livrar dos juros do financiamento.

Quando o participante é sorteado ou dá o lance, ele pode utilizar esse recurso liberado para saldar sua dívida.

Imagine alguém que deva R$ 400 mil. Mas, para quitar o financiamento, precise de R$ 250 mil. Com uma carta de crédito nesse valor, ela conseguirá fazer a quitação desse financiamento e se livrar dos R$ 150 mil que pagaria de juros e outras taxas.

Quando o valor da carta de crédito é superior ao valor necessário, o restante pode ser utilizado para cobrir despesas da documentação do imóvel, por exemplo: tributos de transação, taxas de registro imobiliário etc.

Outra maneira de analisar essa questão é pensar no prazo. Se o financiamento era de 30 anos e uma pessoa, depois de pagar por 10 anos, consegue eliminá-lo, serão 20 anos a menos de juros! Ou seja, um valor considerável.

Como utilizar a carta de crédito para quitação de financiamento?

A quitação de financiamento com carta de crédito é regulamentada pela lei dos consórcios (Lei nº 11.1795/2008). Os requisitos para que essa operação seja possível são:

  • o financiamento e a carta de crédito precisam estar no nome da mesma pessoa;
  • o grupo de consórcio e o contrato de financiamento não podem ser anteriores a 2009;
  • um financiamento imobiliário, por exemplo, só pode ser quitado com uma carta de crédito imobiliário devidamente contemplada, ou seja, os dois contratos devem ser do mesmo segmento;
  • a carta de crédito deve possuir valor igual ou superior ao saldo devido à instituição financeira, para fins de quitação do financiamento.

Além disso, vale ressaltar que a utilização da carta de crédito só é possível para quitação de financiamento de imóvel, automóvel ou equipamento. Isso porque o bem, como já foi explicado, vai ficar como garantia. Então, não pode ser um serviço, como uma viagem.

Quando todas essas condições são cumpridas, a administradora do consórcio faz uma análise de crédito, em que se avalia o bem para saber se o valor bate com o que está sendo declarado e pago na operação.

Vale ressaltar que qualquer banco tem que aceitar a carta de crédito para quitação de financiamento. Sendo assim, essa operação não depende da anuência da instituição financeira.

Enfim, usar a carta de crédito para quitação de financiamento é uma ótima opção para quem quer se livrar dos juros altos. Para saber mais sobre as vantagens dos consórcios, assine nossa newsletter!

Leia também:

Escreva um comentário