Como é a sua relação com o dinheiro? A resposta a essa pergunta pode dizer muito sobre sua realidade financeira e os seus objetivos. Ter organização financeira faz com que o seu dinheiro renda e sobre no final do mês — tarefa que nem sempre é fácil.

Não ter uma vida financeira organizada aumenta os riscos de comprar além do que você pode pagar e, com isso, iniciar uma bola de neve: contas atrasadas, juros e o mal-estar em relacionamentos familiares.

Para ter uma boa organização financeira, duas coisas são essenciais: planejamento e organização.

Esses dois conceitos darão uma visão aprimorada sobre a origem das suas receitas e para onde esse dinheiro vai, possibilitando que sejam identificados comportamentos que afetam negativamente a sua saúde financeira.

O planejamento financeiro consiste em uma série de ações que ajudam a projetar uma situação futura e traçar estratégias comportamentais para que o objetivo traçado seja alcançado — ou seja, é tudo uma questão de educação.

Para que esse planejamento aconteça, algumas ações precisam ser feitas, como tomar nota das despesas no mês, identificar o que é prioridade e o que é gasto desnecessário, e outras ações semelhantes.

Para ajudar na sua organização financeira, separamos algumas dicas. Continue a leitura e confira!

1. organização financeira: Registre suas receitas e despesas

Para registrar seus ganhos e despesas, por exemplo, você pode usar ferramentas financeiras, uma planilha no Excel ou o bom e velho caderno.

O importante é registrar tudo para que no final do mês ou do período de análise você possa voltar às anotações e identificar o que é realmente necessário.

Com essa análise e conscientização dos seus gastos, você consegue identificar falhas no seu orçamento. Assim, pode estabelecer estratégias para corrigir o que for necessário, direcionando o seu dinheiro para os objetivos que estabeleceu, seja uma viagem, seja um carro novo, entrar na academia etc.

2. Identifique o que é prioridade e o que é gasto desnecessário

Com todas as despesas listadas, fica muito fácil identificar o que é realmente necessário pagar e o que é supérfluo.

A prioridade deve ser para aqueles gastos sem os quais você não pode viver. Normalmente, são despesas com moradia, saúde, alimentação, transporte e educação.

Ainda observando a sua lista de despesas, você perceberá outros gastos além dos citados acima. Geralmente, são esses os gastos desnecessários, aqueles que você pode viver sem, mas que trazem alguma satisfação pessoal.

Um exemplo comum é a TV por assinatura. Se você estiver pagando a assinatura de uma TV com centenas de canais, mas só assiste a dois ou três, pode estar desperdiçando dinheiro. Ou, então, aquele dia da semana em que toda a família se reúne para comer pizza. Em vez de fazer isso toda semana, você pode reduzir para uma ou duas vezes ao mês.

3. Defina seus objetivos e estabeleça prioridades

A médio ou longo prazo, o que você quer conquistar? Qual é o seu objetivo financeiro?

Os exemplos aqui são muitos: pode ser a compra de um imóvel (longo prazo), a aquisição de um carro (médio prazo) ou aquela viagem de férias com a família (curto prazo) etc.

Para alcançar esse objetivo, é necessário definir de forma específica a sua meta. Pesquisas mostram que ter objetivos bem definidos ajudam a criar senso de prioridade, evitando que você gaste desnecessariamente.

Também é importante, ao definir seus objetivos, estabelecer um prazo para alcançá-lo. Sem definir o tempo que você dispõe para concluir a sua meta, fica mais difícil mensurar se você está no caminho certo de atingí-la.

4. Crie um orçamento

Depois de analisar o que é de fato essencial, o próximo passo para uma boa organização financeira é criar um orçamento.

Para isso, use a análise dos gastos fixos e gastos variáveis que são necessários, como a conta de energia e de água.

Da mesma maneira que empresas e governos fazem, você pode estabelecer que determinada parte da sua receita irá para o pagamento dessas contas. Por exemplo, você pode estipular que seus gastos mensais não ultrapassem 60% da sua renda.

Dessa maneira, você também poderá estipular metas para reduzir seus gastos variáveis, seja economizando, seja cortando algumas contas.

5. Faça análises mensais dos seus objetivos

Não adianta apenas estabelecer metas e definir seus orçamentos se você não acompanhar e analisar os dados mensalmente, principalmente se estivermos falando de uma meta de longo prazo.

Outra dica é dividir os objetivos de longo prazo em metas menores. Assim você consegue evitar o descontrole financeiro.

Metas de 20 anos podem ser transformadas em metas de 10 anos, depois em metas de cinco anos, dois anos, três meses, e assim por diante.

6. Pague as contas em dia

Pode parecer uma dica óbvia, mas pagar as contas em dia evita que multas e juros sejam cobrados. Tenha atenção a esse ponto e evite deixar tudo para a última hora. Com organização e cuidado, você pode pagar as contas sem atraso e evitar esses gastos.

Se precisar pagar uma conta em atraso, priorize o pagamento em dia daquelas que terão maiores juros.

7. Utilize aplicativos para organização financeira

A tecnologia pode e deve ser uma aliada. Diversos aplicativos disponíveis para Android e iOS podem auxiliar na organização do seu dinheiro.

Esses apps de finanças podem ajudar a fazer verdadeiros milagres na vida financeira. Listamos algumas opções para você baixar. Confira:

Mobills

O Mobills é um dos melhores aplicativos de controle financeiro pessoal que você vai encontrar! No Google Play Brasil, é o app com a maior pontuação dada pelos usuários.

CoinKeeper

É um aplicativo para anotar gastos com total liberdade para alterar o orçamento. Você pode definir períodos específicos, como cinco dias ou quatro semanas, para receber relatórios dos gastos.

Organizze

Precisa gerenciar múltiplas contas? Então, o Organizze pode ser o aplicativo ideal para você. Ele permite que você acesse diversas contas on-line, com saldo de todas elas consolidado em uma mesma tela. Isso tudo, além de oferecer um demonstrativo dos lançamentos todo mês.

Observando as suas despesas e definindo o que é prioridade, você consegue adequar o seu orçamento para chegar ao objetivo traçado. Logo, terá uma boa organização financeira, mesmo que tenha que fazer pequenos sacrifícios no começo.

Agora que você sabe como iniciar a sua organização financeira, assine a nossa newsletter para mais conteúdos sobre finanças pessoais na sua caixa de entrada.

Escreva um comentário